Willkommen auf den Seiten des Auswärtigen Amts

Migrantes e Refugiados

Artigo

Informar e não desencorajar – é este o fio condutor do plano estratégico de comunicação do Ministério Federal das Relações Externas sobre a temática fuga e migração.

Informar, onde os rumores são perigosos

Antes de seguir viagem, muitos migrantes irregulares não têm a noção dos perigos que correm, ou de como fazer essa viagem de maneira legal. O seu conhecimento baseia-se em informações que recebem de redes organizadoras de imigração clandestina, e de presumíveis histórias de sucesso de terceiros. Mesmo os refugiados, que já se encontram num primeiro país de acolhimento, podem correr risco de serem vítimas dessas redes, na continuação do seu percurso – colocando-se assim, mais uma vez, em grande perigo.

Para esclarecer e facilitar a tomada de decisão, o Ministério Federal das Relações Externas recomenda a (potenciais) migrantes e refugiados consultar, ainda nos seus países de origem e nos países de passagem, a seguinte página de internet: Rumours about Germany – facts for migrants.

Logo von Rumours about Germany
Logo von Rumours about Germany© Auswärtiges Amt


Aqui podem comparar, em sete idiomas dos países de origem de migrantes, os rumores propagados pelos traficantes, os factos de migração legal versus as consequências das irregularidades em caso de migração ilegal. Existe uma equipa de redes sociais no Facebook, própria para divulgar e informar activamente em locais por onde (potenciais) migrantes passam e onde os traficantes espalham os seus falsos rumores. O Ministério Federal das Relações Externas informa também, através dos Mídias clássicos, como em campanhas de televisão e de rádio, abrangendo grandes áreas dos países de origem dos migrantes e países de passagem.

O Ministério Federal das Relações Externas, juntamente com os parceiros do projecto, proporciona além disso, várias estratégias de comunicação e informação, nos países de origem dos migrantes ou nos países de passagem. Os nossos parceiros de projecto empenham-se activamente - desde o Senegal à Tunísia, do Iraque ao Paquistão. Eles adaptam o seu trabalho às circunstâncias locais, e, oferecem aconselhamento individual, proporcionando assim aos (potencias) migrantes e refugiados o poder de tomada de decisão esclarecida.

© AA

Para início da página